Cuatrecasas abre escritório em Pequim num contexto de forte investimento chinês em Portugal

20 de Outubro de 2017

  • A sociedade de advogados ibérica dá um novo passo na sua expansão internacional com o seu segundo escritório na China, no seguimento de uma década de serviços permanentes prestados em Xangai.

    A estabilização da economia chinesa e a sua crescente vocação de investidor no Sul da Europa constituem pano de fundo para a inauguração.

 

A Cuatrecasas, sociedade de advogados ibérica líder em Espanha e Portugal que se encontra a celebrar o centenário da abertura do seu primeiro escritório, dá hoje um novo passo na sua expansão internacional, com a abertura do novo escritório em Pequim.

A presença na capital chinesa vem redobrar a aposta da firma ibérica no país asiático, onde já conta com escritório próprio em Xangai desde 2007, dando continuidade a uma década de actividade ininterrupta na região.

O sócio Pablo Cubel, especialista em Fusões e Aquisições, assume a direcção do novo escritório, com uma equipa de advogados locais, conhecedores do mercado chinês, e advogados europeus, que asseguram os recursos e a cultura empresarial da Cuatrecasas.

Segundo Rafael Fontana, presidente executivo da firma, “o bom percurso do escritório de Xangai sob o comando de Omar Puertas e as perspectivas de negócio na China são os melhores motes para avançar com a nossa presença em Pequim e expandir a nossa actividade. Com este novo escritório realizámos o nosso objectivo de continuar a crescer e de nos convertermos numa referência ibero-americana na advocacia de negócios, tal como nos comprometemos no nosso Plano Estratégico”.  

Esta abertura confirma a aposta da Cuatrecasas na internacionalização. No último ano, a Cuatrecasas abriu e consolidou um escritório próprio na Cidade do México e firmou uma aliança com a sociedade de advogados líder na Colômbia, Posse Herrera Ruiz, para operar também naquele país. Adicionalmente, renovou a direcção dos escritórios estratégicos em Nova Iorque e Londres, com um forte peso da área de Direito Financeiro.


Crescimento do investimento chinês no Sul da Europa

A China, segunda maior economia mundial a seguir aos Estados Unidos, tem dado passos para estabilizar o seu crescimento, após a recente desaceleração, através do aumento do consumo interno e do investimento estatal e privado em mercados e sectores diversificados, com especial enfoque nos EUA, Europa e América Latina. A Ásia foi o terceiro mercado mais activo em fusões e aquisições e, só a China, registou recordes em 2016 no que diz respeito ao valor e número de operações registadas pela Mergermarket no seu relatório anual de M&A.

A China investiu mais de 30.000 milhões de dólares na Europa em 2015, o que representa um aumento de 55% face a exercícios anteriores, segundo o relatório “As tendências do investimento chinês na Europa 2016-17” elaborado pela ESADE em parceria com a Cuatrecasas, e apresentado em Lisboa em Março deste ano. O mesmo estudo revela que o Sul da Europa foi um destino privilegiado dos investimentos chineses e acumulou perto de 30% do investimento total na Europa. Em termos de investimento acumulado entre 2010 e 2015, Portugal ocupa a segunda posição entre os países mediterrânicos e o sexto no conjunto da União Europeia. Em 2015, Portugal foi o oitavo país da UE a captar mais investimento chinês, num total de 650 milhões de dólares (cerca de 552 milhões de euros).

Em Espanha, entre 2010 e 2015, a China investiu mais de 2 mil milhões de dólares (1,7 mil milhões de euros), com especial foco no sector imobiliário, logística, equipamentos industriais e bens de consumo. 



Sobre Pablo Cubel

Pablo Cubel é director do escritório de Pequim da Cuatrecasas.

Integrou a Cuatrecasas em 1999. Até 2004 permaneceu no escritório de Madrid e, a partir daí, no escritório de Valência. É sócio desde 2008.

Prestou assessoria a empresas familiares, a sociedades e fundos de capital de risco e a empresas multinacionais estrangeiras tendo adquirido uma experiência particularmente relevante no âmbito das energias renováveis, resíduos, desporto e embalagens.

Tem experiência quer em operações de investimento conjunto e desenvolvimento e financiamento de projectos, em Espanha e no estrangeiro, em corporate governance e em situações de conflitos de empresas.

É doutorado em Direito, com premio extraordinário de doutoramento e escreveu diversas publicações, entre elas dois livros sobre gestão de resíduos. Foi presidente até 2016 da Comissão de Energia e Meio Ambiente da International Association of Young Lawyers (AIJA).

Partilhar: 
Notícias relacionadas