De elementar bom senso - Jornal i

14 de Janeiro de 2015

No próprio dia em que José Sócrates foi preso preventivamente sustentei que o inquérito que dá pelo nome de Operação Marquês deveria deixar de estar sob segredo de justiça. Nessa altura era de elementar bom senso prever que viria a acontecer o que efectivamente aconteceu. Aliás, logo que começaram a ser revelados os contornos do caso e os seus protagonistas, verificou-se a espantosa coincidência entre o que então se passou a saber acerca do processo e o que a revista "Sábado" havia já publicado, a 31 de Julho de 2014. Em artigo da autoria de um jornalista respeitável e sempre muito bem informado estava o essencial daquilo que em Novembro, com estrépito, veio a público. Era já o prenúncio de que o segredo de justiça não seria, como sempre acontece, minimamente respeitado.


Continuar a ler o artigo de opinião de Paulo de Sá e Cunha no Jornal i.





[Nota: O direccionamento pelo nosso site para sites de terceiros é feito na estrita medida de mera indicação, não se responzabilizando a Cuatrecasas, Gonçalves Pereira pelos respectivos conteúdos.]

Partilhar: 
Notícias relacionadas