IMI: Porque está lá - Diário Económico

5 de Agosto de 2016

Taxar o património, sem mais, é injusto e perigoso. E se há coisa em que o Estado se tem empenhado é no ataque ao património imobiliário dos contribuintes, criando obrigações e dívidas onde não há rendimento.

George Mallory foi um famoso alpinista inglês que desapareceu no início do século XX a tentar alcançar o cume do Monte Evereste. Antes da expedição, perguntado por que razão se dedicava a tal objetivo, deu uma das respostas mais citadas de sempre: “porque está lá”.

Ignora-se se o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais já tentou alcançar o Monte Evereste, mas tudo leva a crer que prefere alcançar antes o contribuinte e o seu património imobiliário. Porquê? Pela mesma razão que motivava Mallony: porque está lá. O merceeiro pode fugir ao IVA das uvas, o taberneiro ao da cerveja ou ao do café, o dentista ao das consultas. Mas aos impostos sobre o imobiliário ninguém escapa. As casas não fogem e não há nada mais fácil para garantir o aumento da receita fiscal do que carregar sobre o património imobiliário.

Continuar a ler o artigo de opinião de Ricardo Bordalo Junqueiro no Diário Económico.



[Nota: O direccionamento pelo nosso site para sites de terceiros é feito na estrita medida de mera indicação, não se responzabilizando a Cuatrecasas, Gonçalves Pereira pelos respectivos conteúdos.]

Partilhar: 
Notícias relacionadas