Novas tecnologias e segurança: realidades (in)compatíveis? - Dinheiro Vivo

14 de Maio de 2018


A segurança da verificação da identidade e da validade dos negócios eletrónicos, sem a presença física dos contratantes, é um desafio e a forma complexa como a legislação regula a prova sobre a identidade e integridade dos documentos eletrónicos não acompanha o avanço das tecnologias.

A tradicional assinatura digital e a validação com certificado digital, emitido por entidades credenciadas, como garantia da autenticidade e fidedignidade do documento, é o modelo legalmente aceite. As vantagens? Identifica de forma unívoca o autor e dá força probatória de documento particular assinado ao documento eletrónico. Mas temos de apostar noutras formas de autenticação da assinatura digital, para acompanharmos os novos modelos de adesão, designadamente, a serviços financeiros.

A Chave Móvel Digital, por exemplo, meio de autenticação dos cidadãos nos websites da Administração Pública e de assinatura eletrónica qualificada à distância, através da receção de um código de segurança, poderia aplicar-se no setor privado.

 

Continuar a ler o artigo de opinião de Sónia Queiróz Vaz e Maria Luísa Cyrne no site do Dinheiro Vivo.


[Nota: O direccionamento pelo nosso site para sites de terceiros é feito na estrita medida de mera indicação, não se responzabilizando a Cuatrecasas pelos respectivos conteúdos.]

Partilhar: 
Notícias relacionadas