O fim dos pagamentos aos médicos pela indústria dos dispositivos médicos - Dinheiro Vivo

19 de Fevereiro de 2018


O modelo de concessão de patrocínios a profissionais de saúde por parte de empresas de dispositivos médicos, como o conhecemos até hoje, acaba durante este ano com a recente entrada em vigor do novo Código de Ética Europeu, promovido pela MedTech Europe, uma associação não-governamental que representa o sector dos dispositivos médicos.

Com o intuito de promover uma maior transparência e independência entre as empresas deste sector e os profissionais e as instituições de saúde, o novo código, que apenas vincula os associados da MedTech, consagra a proibição dos pagamentos feitos directamente aos profissionais de saúde para assistirem a eventos e congressos médico-científicos organizados por terceiros.

As empresas que queiram conceder apoios à formação dos médicos terão de fazê-lo através de organizações de saúde (hospitais, ordens profissionais, sociedades científicas, etc.), sendo estas que, por sua vez, seleccionam quem serão os profissionais de saúde a receber o patrocínio para assistir aos referidos eventos. Em paralelo, cabe à organização de saúde beneficiada e organizadora de um evento definir o seu programa, seleccionar o painel de oradores e proceder ao pagamento dos respectivos honorários, quando estes forem devidos.


Continuar a ler o artigo de opinião de Joana Silveira Botelho e Luís Ribeiro Telles no site do Dinheiro Vivo.


[Nota: O direccionamento pelo nosso site para sites de terceiros é feito na estrita medida de mera indicação, não se responzabilizando a Cuatrecasas pelos respectivos conteúdos.]

Partilhar: 
Notícias relacionadas