Publicidade em Saúde: da emoção à razão - News Farma

11 de Fevereiro de 2016

A publicidade transporta-nos muitas vezes para horizontes longínquos, mundos imaginários, estimulando o desejo por bens e serviços que de outra forma seriam totalmente dispensáveis. Este paradigma perfeitamente aceitável no que toca à generalidade dos bens de consumo sofre uma profunda alteração quando está em causa a oferta e comercialização de produtos e serviços de saúde.

Neste domínio, princípios de bioética prevalecem sobre a lógica de mercado, donde decorre um juízo de censura sobre práticas de publicidade que induzam de forma artificial o surgimento de necessidades de saúde com o objetivo de estimular a procura.



Continuar a ler na News Farma.



[Nota: O direccionamento pelo nosso site para sites de terceiros é feito na estrita medida de mera indicação, não se responzabilizando a Cuatrecasas, Gonçalves Pereira pelos respectivos conteúdos.]

Partilhar: 
Notícias relacionadas